Como começar a trabalhar em casa

 

Depois de 12 anos infeliz no trabalho, empreendedor mostra os seus bastidores e como ele começou a trabalhar em casa, há mais de 4 anos. E mostra dicas simples para começar.

Você só vai começar a ser livre e trabalhar em casa, quando parar de vender o seu tempo em troca de dinheiro em um trabalho que você não gosta. 

 

Segundo pesquisa da International Stress Management Association (ISMA), o Brasil é o 2º país com maior nível de estresse no ambiente de trabalho, perdendo apenas para o Japão.

A própria Organização Mundial de Saúde (OMS) alerta que, até 2020, a depressão será a doença mais incapacitante do mundo.

“Você só vai começar a ser livre e trabalhar em casa, quando parar de vender o seu tempo em troca de dinheiro em um trabalho que você não gosta”, diz Róger Marroni, empreendedor digital.

Os fatores como tempo perdido no trânsito todos os dias e ter que cumprir um regime de horas fixas em um trabalho todos os dias, foram o início para o que ele chama de síndrome da Fuga do Emprego.

– Você costuma marcar no calendário a data das suas próximas férias?
– Você passa o dia inteiro no trabalho cuidando o relógio, só esperando a hora de ir embora?
– Passa várias vezes ao dia matando aquele tempinho no café ou fica a todo instante buscando uma desculpa para sair e comprar algo na rua?

A síndrome da Fuga do Emprego é comum no dia a dia de milhares de pessoas e, se você está lendo esse texto, provavelmente na sua vida também.

As pessoas estão vivendo um ciclo em busca do emprego perfeito: iniciam um trabalho novo empolgadas, depois de um tempo as frustrações começam e elas partem para uma nova busca pelo emprego dos sonhos.

Eu acordava sempre em cima da hora todas as manhãs e torcia para o próximo feriado chegar. Mas apesar de tudo isso, eu era conformado. Afinal, não conhecia outro caminho além de vender o tempo em troca de dinheiro num emprego.” Afirma Marroni.

Ele revela que chegou uma época que trocava de emprego quase que uma vez por ano, sempre em busca de um emprego que fosse “melhor”.

Ele afirma que demorou para se dar conta que: o emprego melhor nunca iria chegar. Por mais que ele trocasse de emprego, o que de fato mais incomodava nunca iria mudar: Ele iria continuar batendo o ponto todos os dias!

A virada

No final de 2013 Róger foi demitido do emprego depois de passar 12 anos fazendo um trabalho que era infeliz.

– Nessa época, eu ainda sofri 2 cirurgias no joelho esquerdo. Ficando totalmente impossibilitado de procurar um novo emprego. Foi a partir desse momento que eu decidi que nunca mais iria passar por essa situação. Decidi nunca mais gastar anos da minha vida num emprego para, a qualquer momento, ser mandado embora. – conta.

Sem poder voltar para o modelo tradicional de trabalho. Ele revela que foi em busca de uma solução.

Passava os dias, pesquisando, lendo e estudando formas de gerar receita. Um salário próprio.

Foi aí que ele entendeu que poderia vender o meu próprio conhecimento pela internet e não depender mais do salário de um emprego chato.

“Eu estava realmente decidido e comprometido a fazer isso dar certo.

A primeira coisa que fiz foi organizar o meu conhecimento de uma forma digital, que eu pudesse criar um produto e vender.

Em seguida, comecei a escrever e gravar vídeos 12 horas por dia. Mesmo sem ainda ter vendido nada, nenhum centavo.”, diz Róger.

“Enfim, comecei a entender que era possível vender o meu próprio conhecimento sem ficar preso o dia todo num emprego chato.

Continuei empreendendo. Aumentei a carga e comecei a criar mais. Em alguns meses já estava ganhando 50% do meu último salário.

Mais 2 meses se passaram e bati em vendas exatamente o mesmo valor que ganhava de salário como empregado.

Depois de 6 meses eu já ganhava muito mais do que o meu último salário e não precisava mais voltar para um emprego chato.” é o que defende Róger.

Se você está infeliz com o que está fazendo hoje, lembre-se: “Se você não construir os seus sonhos, alguém vai contratá-lo para construir os dele.”

Hoje Róger trabalha na sua própria casa ou às vezes até em cafés na sua cidade.

Passos

Róger ainda cita que entender as formas de gerar riqueza que existiram desde o início da civilização, foi o que mais ajudou ele.

Segundo o estudioso Alvin Toffler, a forma que trabalhamos desde o início da humanidade é representada por 3 grandes ondas:

– onda rural;
– onda industrial; 
– onda da informação/conhecimento;

Contudo, hoje nós estamos vivendo a 4ª onda da Era Digital.

O mundo mudou e hoje estamos numa era onde a informação é o maior ativo.

O próximo passo agora é assistir as aulas gratuitas onde ele ensina para você estas técnicas.

Divulgação

Redação Paraná em Fotos

Portal Paraná em Fotos

Shares