Iniciativa liderada pela UNESCO pode melhorar nossa relação com os oceanos

Como o oceano influencia a nossa vida e como a nossa vida influencia o oceano? Esta é a pergunta essencial por trás de uma publicação que será lançada esta semana durante evento do Programa Maré de Ciência, da Universidade Federal de São Paulo, que apoia a difusão científica e o engajamento para fortalecer os vínculos entre ciência, políticas públicas e sociedade.
 
O Maré de Ciência tem apoio da  Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura Municipal de Santos e Conselho Britânico. O WWF-Brasil participa dos debates. A programação completa e a inscrição para acompanhar tudo pela internet pode ser feita aqui.
 
A publicação Cultura Oceânica para todos: kit pedagógico, a ser lançada esta semana acaba de ganhar versão para o Português. O material foi pensado pela Comissão Oceanográfica Intergovernamental (COI) da UNESCO para fazer a sociedade conversar sobre a importância dos oceanos e a maneira o modo como temos tratado – historicamente – o vasto mundo azul.

Os oceanos conectam clima, alimentação, saúde e bem-estar, cultura e economia. Da zona costeira ao interior dos países, nossas vidas são permeadas pelos oceanos. É neste contexto que a UNESCO lançou o portal Cultura Oceânica (
Ocean Literacy),  uma iniciativa para nos educar a nos relacionarmos com os oceanos de uma nova maneira.
 
Promover a Cultura Oceânica é uma meta da UNESCO para a Década da Ciência Oceânica para o Desenvolvimento Sustentável (Década dos Oceanos), que a Organização das Nações Unidas (ONU) proclamou para os anos de 2021 a 2030.
 
De acordo com a UNESCO, nossa vida e nossa rotina estão conectadas diariamente ao oceano, mesmo quando não nos damos conta desta relação.
 
A Cultura Oceânica é um convite para que escolas, empresas, ONGs, poder público, universidades, comunidades e cada um de nós possamos reconhecer o papel do oceano na nossa vida, conversar sobre a sua importância, reconhecer nossa influência sobre ele, pensar sobre nossos comportamentos e propor ações, políticas públicas, inovações que ajudem a conservar o oceano e garantir a qualidade de vida das gerações futuras”, diz a nota de divulgação.

“O Brasil possui uma extensa costa com uma rica biodiversidade e diversidade cultural relacionada ao mar. Sem falar no turismo e em tantos outros benefícios do oceano para todos. Porém, é um desafio conciliar economia, desenvolvimento e conservação e a educação. Por isso o conhecimento científico fundamental para construir um futuro que inclua uma boa relação com os oceanos”, diz Ronaldo Adriano Christofoletti, da Universidade Federal de São Paulo, um dos organizadores do evento.


WWF

 

Redação Paraná em Fotos

Portal Paraná em Fotos

Deixe uma resposta