Líderes da Semana do Clima da América Latina e Caribe se reúnem no Brasil para impulsionar ação climática

Conclusões do encontro vão alimentar os resultados da Cúpula de Ação Climática, organizada pelo secretário-geral da ONU em 23 de setembro, em Nova Iorque; evento, que acontece na cidade de Salvador, inicia nesta segunda-feira e encerra no dia 23 de agosto.
Mais de três mil participantes são esperados na Semana do Clima da América Latina e Caribe que inicia nesta segunda-feira na cidade brasileira de Salvador, na Bahia.  Participam do evento ministros de governo e representantes seniores de agências multilaterais e Organizações Não Governamentais, ONGs.
O principal objetivo do evento, que encerra no dia 23 de agosto, é impulsionar a resposta da região às mudanças climáticas.
Cooperação
Em cooperação entre o Governo Federal Brasileiro e a cidade de Salvador, a Semana do Clima da América Latina e Caribe, Laccw, é organizada através de uma parceria de organizações internacionais e regionais. O ministro do Meio Ambiente do Brasil, Ricardo Salles, e o prefeito de Salvador, Antônio Carlos Magalhães Neto, participarão de vários eventos durante a semana, incluindo o segmento de alto-nível.
O ministro de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Argentina, Rabino Sergio Bergman, e a ministra de Meio Ambiente e presidente designada da Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas, COP25, deste ano no Chile, Carolina Schmidt, participam do encontro de alto nível na quinta-feira, dia 22.
Ações Climáticas
De acordo com a ONU, os planos atuais de ações climáticas, conhecidos como Contribuições Nacionais Determinadas, NDCs na sigla em inglês, não são suficientes para manter o mundo no caminho certo para alcançar o objetivo do Acordo de Paris, que limita o aquecimento global para o mais próximo possível de 1,5°C. Por isso, a Semana do Clima acontece em um momento crítico, onde governos se preparam para submeter o próximo round de NDCs, até 2020.
A Semana terá um calendário de atividades dinâmico, que vai demonstrar a ambição climática crescente em toda a região, desde discussões técnicas até diálogos temáticos de alto nível.
Conclusões
As conclusões do encontro vão alimentar os resultados da Cúpula de Ação Climática, organizada pelo secretário-geral da ONU em 23 de setembro, em Nova Iorque, com o objetivo final de impulsionar a ambição climática e acelerar a implementação do Acordo de Paris e a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. A Semana do Clima também contribuirá para a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, COP25, que acontecerá em Santiago, no Chile, de 2 a 13 de dezembro de 2019.
Participação
Outros oficiais que confirmaram presença são o diretor sênior de Política e Programa de Mudanças Climáticas da ONU, Martin Frick, o presidente e CEO da Associação Internacional de Comércio de Emissões, Ieta, Dirk Forrister, o gerente de operações do Banco Mundial no Brasil, Renato Nardello, o enviado especial do secretário-geral das Nações Unidas para a Cúpula da Ação Climática, embaixador Luis Alfonso de Alba, o líder da WWF para a Prática de Clima e Energia e presidente da Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2014, COP20, no Peru, Manuel Pulgar-Vidal e o campeão de alto nível para ação climática do Chile, Gonzalo Muñoz.
São esperados participantes dos 33 países da América Latina e Caribe, além de outras regiões do mundo, somando, até o momento, mais de 90 nacionalidades diferentes. O evento reunirá autoridades nacionais e locais, líderes regionais dos setores públicos e privados e representantes da sociedade civil, incluindo líderes indígenas e jovens, assim como oficiais das Nações Unidas.
As discussões serão no Salvador Hall, um centro de eventos transformado na Cidade do Clima, para receber a Semana com altos padrões de sustentabilidade. O local é totalmente acessível através de transporte público e atenção especial será dada para providenciar alimentação vegetariana e de origem local, evitando também o desperdício de papel e plásticos recicláveis de uso único.
Semanas Regionais do Clima 
Organizada todo ano na África, América Latina e Caribe, e na Ásia e Pacífico, as Semanas Regionais de Clima são plataformas colaborativas únicas para governos e partes interessadas não partidárias para abordar as ações climáticas sob uma única ótica e propósitos centralizados. O principal objetivo das Semanas Regionais de Clima é reunir diversas partes interessadas, dos setores público e privado, em torno de um objetivo comum, abordar a mudança climática.


ONU

 

Redação Paraná em Fotos

Portal Paraná em Fotos