Livro narra a história do pirata inglês que se escondeu em Curitiba há 180 anos

Pesquisador desvenda um dos maiores enigmas da pirataria mundial, encontra documentos raros e um verdadeiro mapa do tesouro
O pesquisador Marcos Juliano Ofenbock lança o livro “A Verdadeira Ilha do Tesouro – As Crônicas do Pirata Zulmiro” (pub. Independente, 167 pág. R$ 39,90).
O autor desvendou um dos maiores enigmas da pirataria mundial ao encontrar o paradeiro e a verdadeira identidade do último capitão pirata do século XIX. A obra é baseada em fatos reais e conecta Curitiba com a maior história de tesouros e piratas do mundo.
Durante o lançamento, o cônsul honorário do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte, Adam Paul Patterson, vai falar sobre os incríveis documentos que foram descobertos a respeito de um oficial da Marinha Real Inglesa que se tornou um corsário e veio se esconder por décadas na cidade de Curitiba, há 180 anos, no bairro do Pilarzinho.
“Encontrei o registro do Pirata Zulmiro no livro do Cemitério Municipal São Francisco de Paula, no ano de 1889. Ele morreu com 90 anos, aqui em Curitiba, e usava o nome de João Francisco Inglez para não levantar suspeitas. Achei seu registro na escola em que estudou, o Eton College, no ano de 1811. Seu nome era Francis Hodder, pertencia a uma família muito rica e nasceu em um castelo”, conta Ofenbock.

 

 
Investigações
O livro é o resultado de 15 anos de pesquisas do autor e que mostram todos os detalhes – desde o grande tesouro da Catedral de Lima que foi roubado por piratas no ano de 1821 e escondido na Ilha da Trindade [litoral do Espírito Santo] – passando por um dos homens do bando que antes de morrer na Índia, no ano de 1850, entrega o verdadeiro mapa do tesouro.
No ano de 1880, um velho pirata que vivia escondido em Curitiba escreve um roteiro completo de como encontrar o mesmo tesouro escondido na Ilha da Trindade. O livro vai contar os detalhes de todas as expedições que foram realizadas em busca do tesouro, tais como as campanhas inglesas do século retrasado, a disputa do Brasil e Reino Unido pela posse da ilha e muito mais.
A obra vai revelar o roteiro e o verdadeiro mapa do tesouro, que ganhou repercussão nos jornais durante o início da Segunda Guerra Mundial, entre os anos de 1939 e 1940. O caso foi publicado na imprensa, repleto de lacunas e sem a documentação.
O livro é digno de uma grande aventura. Num primeiro momento parece mais o roteiro de filme de Hollywood, mas que é totalmente baseado em fatos reais. “Todos os grandes romances sobre tesouros escondidos e piratas – como ‘O Conde de Monte Cristo’ e a ‘A Ilha do Tesouro’ – são baseados nesta história em que o líder do bando pirata veio se esconder nas matas do Sul do Brasil, há quase dois séculos”, finaliza o pesquisador.
Para alegria de Marcos Juliano Ofenbock, seu livro já está em processo de tradução e no final do ano será lançado na língua inglesa no Reino Unido e em outros países.
Crédito das fotos: Marcos Juliano Ofenbock

Divulgação

 

Redação Paraná em Fotos

Portal Paraná em Fotos