Marketing digital para pequenas e médias empresas

 

Como primeiro passo, o conselho é analisar público-alvo, concorrentes, os canais de venda e os recursos disponíveis para o investimento.

 

*Artigo de Thiago Regis, diretor de novos negócios da agência de marketing digital Pílula Criativa

Parece corriqueiro repetir, mas os números mostram: a vida do empresário no Brasil não é fácil. Nos três últimos anos, as empresas mais fecharam do que abriram. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2016, 648.474 empresas entraram no mercado, enquanto 719.551 registraram saída no mesmo ano. O levantamento, divulgado em outubro de 2018, também revelou que uma em cada quatro empresas não sobrevive ao primeiro ano de operação. 

Desenvolvido pelo Sebrae, o estudo “Causa Mortis”, que analisou o fracasso e sucesso das empresas durante cinco anos, mostra que os motivos para fechar as portas estão relacionados ao planejamento prévio; gestão empresarial e comportamento empreendedor. Ao abrir a empresa, 46% dos entrevistados não sabiam a quantidade de clientes que teriam e os hábitos de consumo desses consumidores. Outro dado do levantamento é que apenas 26% das empresas abertas investem em propaganda e divulgação. 

Chamo atenção para estes dois itens, o primeiro relacionado ao planejamento prévio; o segundo, à gestão empresarial. Ambos estão relacionados ao modus operandi da empresa, o que nos dias de hoje, implica inerentemente na presença do negócio no mundo digital. 

De fato, não sabemos profundamente como isso ocorre e afeta os negócios dessas empresas recém-nascidas. Mas há alguns indícios. Uma outra pesquisa do Sebrae, desta vez realizada com pequenos e microempresários em Minas Gerais, mostrou que 70% dos consultados utiliza aplicativo de mensagens instantâneas, o WhatsApp para fins profissionais. Principalmente para divulgação de produtos e serviços (57%); atendimento aos clientes (53%); e vendas (42%). O Facebook também é a rede social mais acessada por eles; 25% responderam ter um site da empresa; e 11% utilizam a internet para vender. 

Saber usar estas ferramentas para a vida pessoal, não significa utilizá-las de forma profissional e à altura das exigências dos consumidores atuais. Todos nós, ou a maioria, temos experiência com esses aplicativos e redes sociais. O desafio é usá-los profissionalmente, o que exige tempo, recursos financeiros e contratação de especialistas, conforme o porte e objetivo da sua empresa. Tudo isso requer duas coisas: planejamento e estratégia. 

Podemos listar pelo menos três pontos principais do marketing digital que devem ser analisados pelas recém-nascidas empresas e acompanhados durante sua trajetória: presença digital da marca; o relacionamento com o cliente; e o e-commerce. Claro que isso vai depender da razão de ser da sua empresa, talvez você não precise de algum deles, mas esse tripé ajudará a pensar e planejar as estratégias de marketing do seu negócio. 

Como primeiro passo, meu conselho é analisar público-alvo, concorrentes, os canais de venda e os recursos disponíveis para o investimento. Uma estratégia de marketing digital coerente com os objetivos da sua empresa pode ser viável até para orçamentos mais enxutos. Em média, um anúncio no Facebook pode custar de R$0,30 ou R$ 0,50 o clique. Contratar um profissional ou uma agência especializada pode ajudar a entender qual a melhor estratégia para sua empresa, além de elaborar e executar as campanhas. 

Para muito além do site, o básico da presença digital que muitas empresas não fazem, construir a marca da sua empresa nas redes sociais é essencial. Pense que seu possível cliente pode estar lá. Um estudo da Euromonitor Internacional mostrou que 57% dos consumidores são influenciados pelas redes sociais. 

Meu segundo conselho é seguir não apenas as estratégias básicas do marketing digital como também ficar atento às novidades e procurar se diferenciar da concorrência nestas ações. Investir em marketing conteúdo, por exemplo, com o intuito de aprimorar a exposição da sua marca ou produto no mundo digital é fundamental. 

Nos dias de hoje, abrir uma empresa significa coexistir com o mundo digital. Basta saber como se você usará isso de forma vantajosa para o seu negócio ou se entrará para as tristes estatísticas das empresas que não conseguem sobreviver. 

Redação Paraná em Fotos

Portal Paraná em Fotos