Morre o jornalista Clóvis Rossi

Morreu, em São Paulo, aos 76 anos, Clóvis Rossi, jornalista da Folha de S. Paulo, ganhador de vários prêmios jornalísticos e autor dos livros “Clóvis Rossi, Enviado Especial, 25 Anos ao Redor do Mundo” e “O Que é Jornalismo”. Ele estava em casa, onde se recuperava de infarto sofrido há uma semana.

Nascido em 1943, no bairro do Bexiga, em São Paulo, Rossi começou no jornalismo em 1963. Trabalhou nos jornais Correio da Manhã, O Estado de S. Paulo e Jornal do Brasil. Teve ainda passagens pelas revistas Isto É e Autoesporte e pelo Jornal da República e manteve blog no espanhol El País.

Clóvis Rossi trabalhou desde 1980 na Folha, foi correspondente em Buenos Aires e escreveu reportagens de grande repercussão no país durante os períodos de abertura política, aprovação da Constituição de 1988, posses de presidentes da República e mudanças da política externa brasileira. Deixa mulher, três filhos e três netos.

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, falou sobre a morte do jornalista durante o evento “A Construção do Brasil”, realizado Brasília. “Não posso deixar de registrar uma tristeza na data de hoje. Já que estamos falando de história e já que estamos falando de Brasil, um dos maiores jornalistas da história do Brasil faleceu, Clóvis Rossi. Ficam aqui as nossas homenagens e a nossa declaração de respeito e solidariedade e de pêsames à família, aos amigos e à Folha de S.Paulo, onde ele trabalhou durante tantos anos”, disse o ministro durante a abertura da palestra do jornalista e historiador Laurentino Gomes.

Agência Brasil

Redação Paraná em Fotos

Portal Paraná em Fotos