A revolução da internet móvel no Brasil com a Rede 4G

Diferencial desta tecnologia está em atender as necessidades de um público cada vez mais conectado, que prioriza o tráfego de dados (áudio, texto, vídeo, foto) na internet, e não mais o tráfego de voz.

95% da população do país, de acordo com a última pesquisa da Telebrasil (Associação Brasileira de Telecomunicações), já possui acesso a esta quarta geração de internet.

A rede 4G destaca-se pela sua velocidade que pode chegar em até 100 Mbps e por disponibilizar uma qualidade melhor na navegação de conteúdos da web.

Nos últimos anos, o sistema de internet móvel no Brasil passou por diversos avanços, inclusive, com a implementação da rede 4G, que se tornou uma verdadeira promessa e chegou com o objetivo de revolucionar o mercado ao oferecer ampla cobertura, maior velocidade e desempenho estável para os usuários de smartphone. Para especialistas, o diferencial desta tecnologia está em atender as necessidades de um público cada vez mais conectado, que prioriza o tráfego de dados (áudio, texto, vídeo, foto) na internet, e não mais o tráfego de voz..

A rede 4G destaca-se pela sua velocidade que pode chegar em até 100 Mbps e por disponibilizar uma qualidade melhor na navegação de conteúdos da web, como vídeos em alta definição, downloads mais rápidos de aplicativos e jogos. Além disso, seu sinal foi desenvolvido para ser bem mais estável do que as tecnologias anteriores, permitindo que mais gente se conecte a ela sem perder qualidade e por proporcionar acesso a internet de vários lugares diferentes.

Em funcionamento no Brasil desde 2013, a rede 4G está disponível em 4.485 dos 5.570 municípios brasileiros, atendendo 95% da população do país, de acordo com a última pesquisa da Telebrasil (Associação Brasileira de Telecomunicações). O órgão ainda destaca que desde abril de 2018, 2,1 milhões de novos chips 4G foram ativados, alcançando ao todo 112,4 milhões de acessos de 4ª geração.

O desligamento do sinal analógico também contribuiu para este aumento. Com esta medida, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) liberou o uso da faixa de 700 mega-hertz (MHz), para a telefonia móvel em todas as capitais do país, esta frequência se destaca por possuir longo alcance o que colabora para a ampliação e atuação do  4G. Além das zonas urbanas, aos poucos essa frequência também está sendo aplicada nos interiores do país.

Um recente estudo divulgado pela OpenSignal, empresa britânica especializada em mapeamento de cobertura de internet, mostrou que a disponibilidade da conexão 4G cresceu de maneira significativa, já que todas as quatro grandes operadoras do Brasil (Tim, Claro, Vivo e Oi) tiveram aumentos na disponibilidade de sinal entre 6% e 9%. A métrica avalia a quantidade de tempo que a conexão está disponível para os usuários em seus deslocamentos. O estudo foi com base em 7 bilhões de medições, de 395 mil usuários entre setembro e novembro do ano passado. Atenta a este cenário, a ANATEL também divulgou dados recentes que apontam que o número de usuários 4G deve aumentar ao longo deste e dos próximos anos. É que de acordo com um levantamento do órgão, no Brasil, há mais de 118 milhões de clientes aptos a usar a tecnologia no celular, de um total de mais de 235 milhões de linhas ativas.

Para a OpenSignal, a Claro é a operadora com o melhor 4G do Brasil, por fornecer a maior velocidade média de download (28,18 Mbps), maior velocidade média de upload (9,28 Mbps) e a menor latência (61,21 milissegundos). O ranking completo aponta que a Vivo ficou em segundo lugar, a Tim em terceiro, enquanto o pior desempenho medido pelos especialistas ficou com a Oi. A explicação para isso é simples: a frequência de banda usada pela companhia. Enquanto as rivais utilizam a faixa de 700 MHz, de baixa frequência, a Oi opta por uma faixa intermediária para alta, o que prejudica o alcance de sua rede 4G.  

E para um futuro ainda mais tecnológico, já começam a despontar no mercado outras tecnologias, como é o caso da LTE 4G, uma versão mais avançada da rede 4G e que algumas operadoras a denominam como 4G+ ou 4.5G. Esta rede possui até cinco possibilidades de transmissão de dados com o objetivo de aumentar a largura de banda, e assim operar mais dados de uma vez. O ponto forte da 4G+ é a possibilidade de suportar velocidades de até 1 gbits.

Outra forte tendência ainda a ser implementada em breve é a rede 5G, que irá tornar tudo (carros, geladeira, máquinas de lavar, celulares, câmeras de segurança e tantos outros eletrônicos) conectado ao mesmo tempo. Vários testes já estão sendo feitos para tornar viável a expansão desta tecnologia e a expectativa, segundo o ANATEL é que ela se torne realidade no Brasil em 2020.

Maior cobertura de internet 4G no campo

Além de estar presente em boa parte das regiões urbanas do país, ainda este ano, a internet 4G deverá ampliar sua cobertura em zonas rurais, já que apesar do avanço tecnológico em equipamentos, a conectividade ainda é um desafio para profissionais do campo e agricultores. Enquanto 1% dos moradores nas cidades diz não ter acesso à internet, nas áreas rurais esse índice é de 21%, segundo levantamento do IBGE.

Com este avanço, aumentará a produtividade e consequentemente os negócios ligados ao campo. Atenta a esse cenário, a Aquário, especializada no mercado de telecomunicações, tem aprimorado cada vez mais a tecnologia dos seus produtos com o objetivo de garantir que o sinal de internet e rede chegue a todos os cantos do país.

A companhia acaba de lançar um novo Celular de Mesa, sendo o primeiro do mercado a oferecer tecnologia 4G, alta qualidade de voz e wi-fi, com possibilidade de rotear o sinal de internet para até oito usuários simultâneos. Essa nova versão apresenta ainda um display colorido com tela de 3,5 com alta definição, sistema operacional Android e funções inovadoras. O produto é uma solução para quem deseja aproveitar mais do 4G usando o wi-fi.

“Apostamos sempre em desenvolver produtos revolucionários e que são considerados principais tendências no mercado internacional. Nossos maior objetivo é conectar cada vez mais pessoas e alavancar negócios”, destaca Douglas, presidente da Aquário.

Divulgação

Redação Paraná em Fotos

Portal Paraná em Fotos