Seguro protege viajantes contra imprevistos e é cada vez mais contratado

Assistência médica está entre as categorias mais acionadas pelos viajantes
 
Nenhuma viagem, por mais organizada que seja, está livre de surpresas desagradáveis. Bagagens extraviadas, reações alérgicas, dor de dente, fraturas, são alguns dos exemplos de situações inesperadas que, quando acontecem, podem comprometer aquele tão sonhado roteiro pelo Brasil ou exterior.  Daí a importância da contratação do seguro viagem, que garante suporte ao turista enquanto está fora de sua cidade de origem.
 
“Pode-se dizer que é o tipo de serviço que contratamos com a expectativa de não precisar acionar em momento algum, mas é imprescindível para garantir a segurança do consumidor quando ele está longe de casa. Sem o seguro viagem, uma simples consulta médica pode extrapolar completamente o orçamento do viajante”, diz Magda Nassar, presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens (ABAV). 
 
De acordo com dados da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi), a contratação do seguro viagem cresceu 11,6% no primeiro trimestre de 2019 em relação ao mesmo período do ano passado, uma alta de R$ 143,4 milhões de reais movimentados ante os R$ 128,47 milhões registrados nos três primeiros meses de 2018. Entre as agências de viagens associadas à ABAV, em 2019 houve crescimento de 10 a 20% na contratação de seguro viagem incluso no pacote na comparação com 2018, o que revela maior conscientização do consumidor em relação à importância desse tipo de serviço. 
 
Os perfis de cobertura do seguro dividem-se entre: planos de viagens a lazer, viagens de intercâmbio, viagens corporativas, cruzeiros marítimos, prática de esportes e planos receptivos. Doenças pré-existentes ou gravidez são outros fatores que podem influenciar na contratação do seguro. Idosos também merecem atenção, pois costumam ter a saúde mais vulnerável, e isso significa não apenas que há mais chances de ficarem doentes, mas também que os tratamentos são mais demorados e custosos. Uma boa conversa com um agente de viagens para explicar a motivação da viagem e destino desejado pode ajudar o consumidor a escolher o seguro mais adequado para o seu perfil e, se necessário, adicionar ou excluir itens da franquia.
 
Com coberturas de US$ 12.000 a US$ 300.000 para viagens internacionais e de R$ 6.000 a R$ 30.000 para viagens nacionais, o agente de viagem tem uma gama de produtos e benefícios para oferecer. As causas mais comuns para acionamento do seguro viagem incluem assistência médica por acidente ou enfermidade, seguida de bagagem extraviada, cancelamento de viagem, atraso ou cancelamento de voo, repatriação sanitária e despesas odontológicas. Há, ainda, seguros para equipamentos como câmeras, notebooks e outros itens de valor. 
 
Vale lembrar que em países membro da União Europeia que fazem parte do Acordo de Schengen, é obrigatório ter seguro viagem com cobertura mínima de 30 mil euros. São eles: Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Eslovénia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Islândia, Itália, Letónia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Países Baixos, Polônia, Portugal, República Checa, Suécia e Suíça.

ABAV

 

Redação Paraná em Fotos

Portal Paraná em Fotos