14 de junho de 2024
Geral

Aplicativos podem estar piorando o trânsito

 

Os aplicativos de transporte estão tirando passageiros dos ônibus e colocando mais carros nas ruas? Alguns especialistas dizem que sim, mas o tema é polêmico.

Novos serviços de mobilidade fazem sucesso por serem um modo fácil e barato das pessoas se locomoverem nos centros urbanos.

 

Os aplicativos de transporte estão tirando passageiros dos ônibus e colocando mais carros nas ruas? Alguns especialistas dizem que sim, mas o tema é polêmico. O trânsito difícil sempre foi problema, muito antes desses aplicativos, conforme o artigo do SeguroAuto.org.

Aplicativos de transporte e seu efeito no trânsito

Os aplicativos de transporte são os serviços usados ou envolvidos na atividade de chamar um carro com motorista para imediatamente pegar um passageiro e transportá-lo a um local definido. Eles foram criados para facilitar a nossa vida e a das pessoas em todo o mundo. 

Novos serviços de mobilidade fazem sucesso por serem um modo fácil e barato das pessoas se locomoverem nos centros urbanos. A carona compartilhada e o atendimento por aplicativo surgiram como opção ao transporte público e aos carros particulares, mas parece que não estão melhorando o trânsito nas grandes cidades.

Segundo estudo realizado pela consultoria americana Schaller, especializada em mobilidade, as Transportation Network Companies (Companhias de Transporte em Rede) – TNC, estão piorando o trânsito. Segundo a pesquisa, a tendência é que esse problema aumente na medida em que os serviços de transporte por aplicativos se tornarem ainda mais populares.

O autor do estudo, Bruce Schaller, declarou, em entrevista ao Washington Post, que esses serviços retiram pessoas do transporte público para os veículos particulares e que, portanto, isso significa mais congestionamento no trânsito, mesmo que a carona seja compartilhada entre mais de um passageiro.

Utilização crescente

O número de passageiros que utilizaram os aplicativos das TNC aumentou 37%, em 2017, nos Estados Unidos. O total de passageiros foi de 3,6 bilhões de usuários. Esse número, quando se acrescenta os usuários de taxi, ultrapassa o total de passageiros que usam ônibus. Somente em Nova York, a demanda pelos aplicativos de transporte aumentou 72%, entre 2016 e 2017. Na cidade de Seattle, o aumento foi de 47%.

Para gerenciar essa tendência de aumento no fluxo de veículos, o relatório da Consultoria Schaller indica que as políticas públicas deverão ser responsáveis pelo seu gerenciamento, com a administração adequada do tempo em sinais de trânsito e a instalação de faixas de ônibus. Se não existir a gestão pública para resolver os problemas criados, é provável que futuramente a realidade do trânsito seja pior do que a atual, com mais veículos nas ruas e cada vez menos sustentabilidade.

Papel na mobilidade urbana

– O transporte por aplicativos acrescentou aproximadamente 4 bilhões de quilômetros ao trajeto percorrido das nove maiores cidades americanas e a propriedade de carros cresceu mais rápido do que a população.

– Cerca de 60 por cento de usuários de aplicativos de transporte, nas grandes cidades, teriam optado pelo transporte público, andado, pedalado ou desistido da viagem se não houvesse um veículo TNC disponível para o trajeto, enquanto que 40 por cento teria usado o seu próprio carro ou um taxi. Portanto, se transformaram em um público fiel dessa opção, evitando tirar o próprio carro da garagem ou pagar mais num taxi.

– Os aplicativos de transporte não são geralmente competitivos entre os motoristas que gostam de velocidade, conveniência ou conforto. Entretanto, eles são utilizados em lugar dos carros pessoais quando é difícil encontrar lugar para estacionar ou os estacionamentos são caros, além de serem uma opção para evitar beber e dirigir.

– Os aplicativos que apregoaram reduzir o tráfego, de fato, acrescentaram quilômetros percorridos às ruas da cidade. A maioria das corridas transporte um único passageiro. Mesmo quando há um compartilhamento da corrida entre mais de um passageiro, são 4 quilômetros a mais percorridos para cada 2 quilômetros de veículos pessoais removidos, com um aumento médio de 160 por cento a mais de permanência no trânsito, para quem dirige nas ruas das grandes cidades.

– O relatório concluiu que os aplicativos de transporte podem ser alternativas valiosas para o ambiente urbano, mas não podem ser considerados como substitutos para o transporte público com roteiros fixos.

                                                                                                   Artigo distribuído pelo SeguroAuto.org 

Redação Paraná em Fotos

Portal Paraná em Fotos