30 de maio de 2024
SAÚDE

Avanço de novas tecnologias afetará ocupações na indústria

 

Estudo mostra tendência de extinção de atividades que envolvem força física e valorização de habilidades cognitivas e gerenciais

 

A cada dia, as novas tecnologias estão mais presentes no dia a dia das pessoas. Apesar de todos os benefícios, os avanços podem impactar na oferta de trabalho, principalmente nas indústrias. Estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) alerta para o fato de que o emprego de baixa qualificação, ainda predominante no país, pode estar sujeito, no futuro próximo, aos efeitos adversos das novas tecnologias.

A pesquisa, feita com base em dados de 2003 e 2017, conclui que o trabalho que envolve força física – como classificação e separação de objetos, controle de estoques e operação de máquinas – tende a perder importância e ser substituído pela automação, sobretudo nos países em que os salários sejam relativamente mais elevados.

Em termos educacionais, o estudo do Ipea mostra que houve uma expansão de 19,3% nos anos de estudo dos trabalhadores formais civis no Brasil entre 2003 e 2017. A qualidade das ocupações disponíveis, no entanto, não acompanhou esse crescimento. “A população está cada vez mais escolarizada, mas isso não tem se traduzido em empregos que exijam melhores habilidades”, ressalta Aguinaldo Nogueira Maciente, coordenador de Estudos e Pesquisas em Trabalho e Desenvolvimento Rural do Ipea e um dos autores da publicação.

A pesquisa revela, ainda, que as habilidades que terão maior importância no futuro são as cognitivas, como as que envolvem o raciocínio e o domínio de linguagens; interpessoais, como o cuidado e o contato humano; gerenciais e habilidades ligadas às ciências, tanto as da natureza quanto as sociais ou aplicadas.

 

Agência do Rádio

Redação Paraná em Fotos

Portal Paraná em Fotos