Bombeiros encerraram trabalho no desabamento de prédio do Rio



Um homem de 30 anos e uma criança foram retirados sem vida
Os bombeiros encerraram os trabalhos no local do desabamento que ocorreu na comunidade de Rio das Pedras, na zona oeste do Rio. Com isso, a área já está entregue à Defesa Civil municipal para a avaliação dos impactos do desabamento em prédios próximos. Foram interditados seis imóveis, além do que desabou.
“Após avaliação da Defesa Civil, funcionários das secretarias de Conservação e de Infraestrutura farão, respectivamente, a limpeza do local e a avaliação dos riscos de novos desabamentos”, informou a Prefeitura.
A Secretaria Municipal de Habitação (SMH) informou que o imóvel era irregular, mas de acordo com a Secretaria de Estado de Polícia Civil, informações iniciais indicam que o imóvel foi construído há mais de 20 anos por familiares que moravam no local. Sua construção não teria ligação com milícias, conforme ocorre com outros imóveis construídos na região.
A Secretaria Municipal de Conservação revelou que, desde janeiro, somente nas Áreas de Planejamento AP4 e AP5, que englobam a zona oeste da cidade, mais de 180 construções irregulares foram demolidas. Além disso, foram emitidas mais de 150 notificações, que geram processos administrativos e podem resultar em demolição.
Logo após o desabamento, o Centro de Operações da Prefeitura (COR) acionou equipes para o local e toda a área foi isolada. Foram para o local integrantes do COR, do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar, da concessionária de energia Light, da Companhia de Engenharia de Tráfego do Rio (CET-Rio), da Defesa Civil e da Guarda Municipal.
Também foram acionadas equipes da companhia de gás Naturgy, da empresa de limpeza urbana Comlurb, a Subprefeitura de Jacarepaguá, as secretarias Municipal de Conservação e Serviços Públicos, de Ordem Pública, de Infraestrutura e de Assistência Social, que acolheu 20 pessoas de sete imóveis diferentes, que estavam desalojadas.
Entre as vítimas, três pessoas foram encaminhadas ao Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, também na zona oeste. Nataniela Gomes, de 27 anos; Antônia Mariana de Souza, de 35 anos; e Jonas de Souza, 29 anos. Apenas Nataniela segue internada. Os outros dois feridos tiveram alta no fim da manhã.
Kiara Abreu, de 27 anos, foi resgatada dos escombros do prédio que desabou e foi levada para o Hospital Miguel Couto, na Gávea, na zona sul, onde está sendo acompanhada pela equipe médica após fazer exames. Conforme a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a mulher está em estado grave.
O marido dela, Natan Gomes, de 30 anos e a filha com idade entre 2 e 3 anos foram resgatados sem vida. Os corpos foram levados para o Instituto Médico Legal (IML), na zona norte do Rio. Ao chegarem ao local, os bombeiros também tiveram que combater chamas que atingiam os destroços.
Não há informações sobre o que causou o colapso da estrutura e nem se o prédio era regular. O desabamento atingiu três edificações que ficam em frente ao prédio e uma que fica ao lado dele.
Em abril de 2019, dois prédios irregulares desabaram na comunidade vizinha da Muzema, deixando 24 mortos. -Agência Brasil

Redação Paraná em Fotos

Portal Paraná em Fotos