26 de fevereiro de 2024
SAÚDE

Doenças da Tireoide e Depressão: Uma ligação que precisa ser compreendida

Doenças da Tireoide e Depressão: Uma ligação que precisa ser compreendida
O Dia Internacional da Tireoide é celebrado com o objetivo de conscientizar milhões de pacientes ao redor do mundo sobre as doenças relacionadas a essa glândula em formato de borboleta, localizada no pescoço. Essas doenças incluem o hipotireoidismo, hipertireoidismo, doenças autoimunes e câncer. Além de desempenhar um papel crucial na regulação de órgãos vitais, crescimento e desenvolvimento, estudos têm apontado uma associação significativa entre as doenças da tireoide e a depressão, destacando a importância do diagnóstico e tratamento adequados.
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 300 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem de depressão, enquanto cerca de 750 milhões de pessoas são afetadas por doenças tireoidianas. O hipotireoidismo, que é caracterizado pela produção insuficiente de hormônios tireoidianos, é a forma mais comum dessas doenças e pode desencadear sintomas como fadiga, alterações de humor e ansiedade, que frequentemente se confundem com sintomas depressivos.
De acordo com o Dr. Joel Heitor Filho, endocrinologista do Hospital Mater Dei Santa Genoveva, “o hipotireoidismo pode ser confundido com depressão, pois apresenta sintomas clínicos semelhantes. Cansaço, dores nas pernas e ansiedade são alguns dos sinais que podem estar presentes em ambas as condições. É fundamental obter um diagnóstico precoce para iniciar a reposição hormonal adequada, melhorando não apenas os sintomas depressivos, mas também reduzindo o risco de doenças cardiovasculares”.
Pode ocorrer também a dissociação clínico-laboratorial, em que um paciente apresenta poucas alterações nos hormônios tireoidianos, mas manifesta muitos sintomas, ou vice-versa. Portanto, é essencial que pacientes com depressão ou ansiedade sejam submetidos a exames laboratoriais para avaliar a função tireoidiana.
“Profissionais de saúde, como psiquiatras, clínicos gerais e endocrinologistas, devem estar atentos a essa relação entre doenças tireoidianas e depressão. A solicitação de exames laboratoriais, durante a avaliação, é fundamental para um diagnóstico adequado”, afirma o Dr. Joel. “É crucial conscientizar o público sobre essa conexão complexa. O diagnóstico precoce e o tratamento adequado são fundamentais para melhorar a qualidade de vida dos pacientes e evitar complicações a longo prazo”, finaliza o endocrinologista.

– Liberação de imprensa