15 de julho de 2024
Geral

Hiroshima lembra 72 anos da bomba com apelo ao desarmamento

Hiroshima foi a primeira cidade do mundo a ser atacada com uma bomba atômica na história, há 72 anos. Foi em 1945, com a justificativa dos americanos que seria para apressar o final da guerra. Veja nas fotos divulgadas pela Agência Pública algumas imagens da cidade atualmente.

 

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas (06/12/2014)

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas (06/12/2014)

Hiroshima- Japão- O Memorial da Paz de Hiroshima, chamado Cúpula Genbaku ou Cúpula da Bomba Atômica, pelos japoneses, localiza-se em Hiroshima, Japão.

 

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas (06/12/2014)

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas (06/12/2014)

Hiroshima- Japão- O hipocentro da explosão atómica de 6 de Agosto de 1945 situou-se apenas a 150 metros de distância do edifício, que foi a estrutura mais próxima a resistir ao impacto.

 

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas (06/12/2014)

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas (06/12/2014)

Hiroshima- Japão- A Cúpula Genbaku deveria ter sido demolida com o restante das ruínas, mas o fato de ter ficado praticamente intacta adiou os planos.  Enquanto a cidade era reconstruída em torno do domo, sua permanência tornou-se motivo de controvérsia; alguns moradores queriam sua destruição, enquanto outros preferiam que a estrutura fosse preservada como um memorial do bombardeio.

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas (06/12/2014)

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas (06/12/2014)

Hiroshima- Japão- Em 1966, Hiroshima declarou a intenção de preservar a agora chamada “Cúpula da Bomba Atómica” de forma definitiva. Trinta anos depois, em dezembro de 1996, a construção foi registrada como Património Mundial da UNESCO, baseado na Convenção sobre a Proteção do Patrimônio Cultural e Natural.

 

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas (06/12/2014)

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas (06/12/2014)

Hiroshima- Japão- A China apresentou objeções quanto à confirmação do memorial como Património Mundial, e o delegado dos Estados Unidos no Comitê da UNESCO decidiu abster-se da decisão.

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas (06/12/2014)

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas (06/12/2014)

Hiroshima- Japão- A China citou a possibilidade do monumento ser usado para minimizar a importância do fato de que os países vítimas do Japão durante a Segunda Guerra Mundial sofreram perdas muito maiores em número de mortos, enquanto os Estados Unidos declararam que instituir ali um memorial para um “local de guerra” seria omitir o contexto histórico necessário.

 

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas (06/12/2014)

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas (06/12/2014)

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas (06/12/2014)

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas (06/12/2014)

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas (06/12/2014)

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas (06/12/2014)

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas

Redação Paraná em Fotos

Portal Paraná em Fotos