17 de abril de 2024
GERAL

Novos aparelhos produzidos no país já podem sintonizar mais rádios FMs

                           Frequência modulada foi estendida no país

Os novos aparelhos de rádio em produção na indústria no Brasil agora podem sintonizar mais canais de frequência modulada (FM). O propósito é que os ouvintes possam sintonizar mais emissoras na banda FM, que foi ampliada para acomodar a migração das emissoras AM para o FM.

A banda, que funcionava dos 88 aos 108 MHz (mega-hertz), passou a ser dos 76 aos 108 MHz. Esses 12 MHz extras foram obtidos com a desativação da TV analógica e correspondem aos antigos canais 5 e 6 da TV aberta antes da digitalização.

Com mais espaço, foi possível viabilizar mais facilmente a migração das emissoras AM. Inicialmente, caberão até 15 emissoras entre os 76 e 88 MHz. “O estudo [técnico] está levando a crer, principalmente nas regiões metropolitanas, onde tem grande demanda, que esses 15 canais vão comportar grande parte [da demanda]”, informa Vinícius Caram, superintendente de Outorga e Recursos à Prestação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Segundo Caram, há estudos na Anatel que preveem espaço para até mais 30 emissoras com a ampliação da banda.

A migração das emissoras AM para o FM está prevista em lei desde novembro de 2013 e atende ao pedido dos radiodifusores que se queixam da queda de qualidade do sinal de suas estações, que pode acarretar em perda de audiência.

Plano Básico

Segundo a Anatel no início do processo de migração, existiam 1.781 emissoras AM. Dessas, 1.667 pediram a mudança de AM para FM (93,5% do total). Entre as que querem a migração, 1.211 foram incluídas no Plano Básico de Frequência Modulada (PBFM).