29 de maio de 2024
Paraná

Redução do isolamento social aumenta acidentes atendidos por hospitais do Paraná

Balanço do Complexo Hospitalar do Trabalhador, em Curitiba, mostra que no final de março os atendimentos a traumas na instituição caíram de 1.740 por dia para 392/dia. Já na última semana de maio o número subiu para 789 diariamente.
O Complexo Hospitalar do Trabalhador (CHT) fez um balanço dos atendimentos desde o início da pandemia da Covid-19 até o final de maio e registrou um aumento preocupante no número de traumas atendidos na última semana deste mesmo mês. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, a redução no isolamento domiciliar tem contribuído para o aumento de casos. O local é referência para atendimentos a acidentes de trânsito, de trabalho e ferimentos por armas, entre outros.
No final de março – quando surgiram os primeiros casos de Covid-19 confirmados no Paraná – os atendimentos a traumas na instituição de saúde caíram de 1.740 por dia para 392/dia. Já na última semana de maio o número subiu para 789 atendimentos por dia.
“Os dados apresentados mostram, infelizmente, parte do reflexo do descumprimento das medidas de isolamento domiciliar e distanciamento social. Este aumento é preocupante, visto que sobrecarrega os serviços de saúde que, mais do que nunca, precisam estar disponíveis para atendimentos a casos suspeitos ou confirmados de coronavírus”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.
“Estamos vendo um aumento de circulação de pessoas em todo o Paraná. Sabemos que datas comemorativas e feriados tendem a atrair a população para sair de casa. O momento, no entanto, é de restrição. Precisamos tomar medidas agora para que em breve tudo possa voltar ao normal”, acrescentou o secretário.
COVID-19 – O número de casos confirmados de coronavírus neste período também é alarmante. Em 31 de março, o boletim referente ao monitoramento da doença apontava 179 casos confirmados no Paraná. Dois meses depois, em 31 de maio, o informe registrou 4.687 confirmações, um aumento de 2.518%. Nesta segunda-feira (08), os casos confirmados já ultrapassam a casa dos 7 mil.
“Este aumento progressivo nos atendimentos em Unidades de Terapia Intensiva (UTI’s) por acidentes domésticos, de trânsito, arma branca e arma de fogo, somados à pandemia que enfrentamos, é extremamente preocupante devido à ocupação destes leitos entre os pacientes”, informou o diretor-superintendente do CHT, Geci Labres de Souza.
Ele destacou que é importante que as pessoas que possam ficar em casa continuem respeitando o isolamento domiciliar. “Ainda estamos com aumento no numero de casos da doença e agora, com o crescimento de atendimentos de traumas, os serviços ficam sobrecarregados”, completou o diretor.
Segundo o secretário, o reforço do isolamento domiciliar deve ser mantido para que ocorra a diminuição da circulação do vírus e também a queda de acidentes que podem ser evitados.
“Precisamos que a população entenda a importância de ficar em casa. Um jantar na casa de um amigo pode resultar em muito mais coisas do que somente a quebra da quarentena. A orientação do isolamento tem por objetivo principalmente a preservação da vida humana”, ressaltou.

AEN