Varíola dos macacos nas Américas chega a 5,3 mil casos nas Américas

A Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) informou que quase 5,3 mil casos de varíola dos macacos foram relatados até agora, em 18 países e territórios do continente americano – a maioria no Brasil, Estados Unidos e Canadá. A informação foi divulgada pela Agência Brasil, com dados da Agência Reuters. 
A vice-diretora da Opas, Mary Lou Valdez, disse em entrevista coletiva que quase todos os casos continuam sendo relatados entre homens que fazem sexo com homens, entre 25 e 45 anos, mas alertou que qualquer pessoa pode contrair a doença, independentemente de seu gênero ou orientação sexual.
Nenhuma morte por varíola dos macacos foi relatada na região até o momento.
No fim da semana passada, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o surto de varíola dos macacos uma emergência de saúde global, nível mais alto de alerta, com mais de 18 mil casos relatados globalmente.
O diretor-assistente interino da Opas, Marcos Espinal, disse que cerca de 10 países nas Américas já disseram que estavam interessados em comprar uma vacina contra a varíola, mas não revelou quais foram.
A Opas também divulgou que está “bem avançada” nas negociações com um produtor para comprar vacinas de terceira geração contra a doença e que espera que algum suprimento chegue ainda este ano, embora em quantidades limitadas.
“Nós achamos que teremos vacinas este ano”, disse Espinal.
Mesmo assim, o chefe da unidade de gestão de riscos infecciosos da organização, Andrea Vicari, disse que o risco de varíola dos macacos para a população em geral permanece “muito baixo”, e que uma campanha de vacinação em massa não é recomendada no momento.